segunda-feira, 27 de maio de 2024
InícioDestaque PrincipalBotelho defende redução da maioridade penal: "Não tem ressocialização"
MORTES DE MOTORISTAS EM VG

Botelho defende redução da maioridade penal: “Não tem ressocialização”

O parlamentar defendeu que os adolescentes precisam assumir as responsabilidades e responder pelos crimes como adultos

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (União), defendeu a redução da maioridade penal para 16 anos e fez duras críticas ao sistema socioeducativo, que segundo ele, se tornou um formador de bandidos ao invés de ressocializar os adolescentes infratores.

A declaração foi feita após a morte de três motoristas de aplicativo por três jovens, sendo dois deles menores de idade, com 15 e 17 anos.

“É estarrecedor ver a forma como agiram, essa frieza, psicopatia, temos que brigar para baixar a maioridade penal. Falar que menor de 16 anos não sabe que faz? Sabe sim, não tem essa de dois anos tá limpo, um crime horrendo como esse, uma pessoa falar que queria matar um por dia”, declarou o deputado.

Ainda sobre o sistema socioeducativo, o Complexo Pomeri, onde ficam internados os adolescentes infratores, Botelho fez duras críticas e ponderou ainda que os menores responsáveis pelos assassinatos dos motoristas não deveriam ser soltos.

“Não ressocializa ninguém, ali é formador de bandidos, uma pessoa como essa não tem ressocialização, é um psicopata crônico, e deveria ficar preso por muitos anos, não vai nunca se ressocializar. Dizer que tem prazer na morte, prazer no sofrimento, não repara nunca”, afirmou.

Nesta quinta-feira (17), às 10h, Botelho irá se reunir com o secretário de Estado de Segurança Pública, coronel César Augusto de Camargo Roveri, junto com representantes do Sindicato dos Motoristas de Aplicativo de Cuiabá para debater a proteção da categoria.

Botelho, em conjunto com a deputada Janaina Riva (MDB), também já apresentaram um projeto de lei que prevê a instalação de botão nos carros de aplicativos como forma de reduzir os crimes contra estes trabalhadores.

O caso 

Elizeu Rosa Coelho, de 58 anos, Marcio Rogerio Carneiro, de 34 anos, e Nilson Nogueira, de 42 anos, foram brutalmente assassinados em Várzea Grande após saírem para trabalhar.

Os corpos foram encontrados no início da semana, após a polícia conseguir prender os responsáveis pelos homicídios.

 

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se