terça-feira, 21 de maio de 2024
InícioEconomia & NegóciosVereador critica ‘disputa política’ na pandemia e defende lockdown regional

Vereador critica ‘disputa política’ na pandemia e defende lockdown regional

O vereador de Várzea Grande Bruno Rios, que também é presidente da União das Câmaras Municipais do Estado de Mato Grosso (UCMMAT), criticou a “disputa política” entre o governador Mauro Mendes (DEM) e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), quanto à condução da pandemia.

Em entrevista ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta quinta-feira (11), o vereador defendeu que um dos caminhos possíveis contra o espalhamento da Covid-19 seria a adoção de um “lockdown regionalizado”.

Segundo o presidente, o confronto direto adotado pelos chefes do Executivo estadual e municipal em meio à pandemia só tem gerado desgaste à população. Diante do pior cenário da crise sanitária provocada pelo coronavírus, o parlamentar aponta que a união das lideranças é a melhor saída.

“O que a gente mais vê hoje é a política sendo feita em um momento tão crítico para nossa sociedade. A gente vê briga de prefeito com o governador. Acho que o momento não é esse, é de união e de pensar na população como um todo”, disse Bruno Rios.

Ao comentar sobre as medidas adotadas pelo governador, que determinou uma série de restrições ao horário de funcionamento de comércios e à circulação de pessoas, o vereador defendeu que o democrata tomou medidas positivas. Contudo, para o parlamentar, é necessário se pensar em ações que considerem as particularidades de cada região de Mato Grosso.

“Acredito muito que o governador tem tomado as medidas corretas, o que a gente tem que fazer é conscientizar a população. Vá a shopping se realmente for necessário, vá ao mercado se for necessário. Está existindo aglomerações por falta de conscientização”, apontou.

“Acredito muito que seria interessante se existisse uma situação de lockdown que identificasse qual região e fazer esse lockdown de forma regional. Por exemplo, se na Baixada Cuiabana tiver uma situação gravosa, não seria interessante se falasse ‘só a Baixada que vamos fechar totalmente’?”, finalizou.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se