sexta-feira, 19 de abril de 2024
InícioPolíticaCuiabá cai 16 posições em ranking de competitividade dos Municípios
118º NO PAÍS

Cuiabá cai 16 posições em ranking de competitividade dos Municípios

Cuiabá passou a ser a 319ª colocada no ranking de 415 municípios analisados

Cuiabá caiu 16 posições no Ranking de Competitividade dos Municípios, divulgado nesta terça-feira (13.09) pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em relação ao levantamento do ano passado.

Com isso, a capital passa a ocupar a 118ª posição geral no país. Um dos piores indicadores é a qualidade da saúde, que caiu 168 posições.

A capital mato-grossense passou a ocupar a 319ª colocação no indicador de qualidade da saúde.

O estudo levou em conta 415 municípios de todas as regiões do país.

Em Mato Grosso, 7 cidades foram analisadas: Cáceres, Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Sorriso, Tangará da Serra e Várzea Grande. A coleta dos dados foi feita entre os meses de junho e julho deste ano.

Conforme o Ranking, Cuiabá ocupa a posição de número 205 no item Sociedade, que é composto pelos indicadores gerais de qualidade da saúde, acesso à saúde, acesso à educação, qualidade da educação, saneamento, meio ambiente e segurança.

A capital caiu 27 posições em relação ao estudo feito em 2021.

Entre todas as capitais do país, Cuiabá está em 12º lugar no ranking geral.

Falhas na Saúde

Recentemente, o Ministério Público do Estado pediu para a Justiça uma intervenção na Secretaria de Saúde de Cuiabá.

As denúncias foram feitas pelo Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) e o MPE levou em consideração uma série de irregularidades por parte da Secretaria Municipal ocorrida ao longo dos últimos anos, ao menos desde 2018, e que estariam precarizando a saúde de Cuiabá.

As irregularidades estariam resultando em falta de médicos, furos nas escalas médicas, falta de medicamentos, atrasos nos pagamentos dos médicos, assédio moral, entre outras.

Além disso, a Secretaria de Saúde de Cuiabá já foi alvo de 11 operações das Polícias Federal e Civil e do próprio MPE, por meio do Gaeco.

As ações apontaram supostos esquemas de desvio de dinheiro, contratações de médicos fantasmas, contratações irregulares de servidores, fraudes em licitações, superfaturamento na compra de medicamentos e de corrupção dentro da própria secretaria.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se