sábado, 13 de abril de 2024
InícioPolíticaCom classificação “A”, MT mira em investimentos na educação e agricultura familiar

Com classificação “A”, MT mira em investimentos na educação e agricultura familiar

Com a nova classificação, Mato Grosso saiu da classe “C” para a “A”

O secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, apontou que diante da nova classificação de Mato Grosso no Tesouro Nacional a gestão atual irá buscar novos empréstimos para Mato Grosso que irão beneficiar as áreas da educação e da agricultura familiar.

Em entrevista ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta terça-feira (25), o gestor apontou que a nota “A” recebida por Mato Grosso é fruto das ações adotadas pela gestão do governador Mauro Mendes (DEM).

Conforme noticiado pelo portal, o chefe do Executivo estadual anunciou na segunda-feira (24) que o Estado saltou na classificação nacional que mede o índice da gestão fiscal dos entes federativos. Com a atualização, Mato Grosso saiu da classe “C” para a “A”.

Segundo o secretário, a nova classificação significa que o Estado tem capacidade suficiente para pagar seus servidores e investir em novos projetos, além de possibilitar uma maior vantagem na requisição de empréstimos.

Questionado sobre a possibilidade de empréstimos, o secretário apontou que Mato Grosso irá buscar novo empréstimo com o Banco Mundial para investir nos setores da educação e da agricultura familiar.

“Com a nota A, nós conseguimos fazer empréstimos com juros muito baixos e prazos longos. Em Mato Grosso, só em obra rodoviária, temos mais ou menos algo em torno de 14 mil km de estradas não pavimentadas que devemos pavimentar. Isso significa um investimento de R$ 8 a R$ 10 bilhões de reais, é quase metade do nosso orçamento anual”, disse.

“Mas, o governador não quer tomar o primeiro empréstimo com juros baixos para obras. O objetivo é colocar em educação e agricultura familiar, é investir em pessoas. Como eu disse há pouco, o Estado tem como principal finalidade cuidar de pessoas. Então, vamos tomar um empréstimo com o Banco Mundial, com uma taxa de juros anual em torno de 3% a 3,5%, ou seja, abaixo da nossa taxa inflacionária”, acrescentou.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se