sábado, 15 de junho de 2024
InícioDestaque PrincipalPesquisa aponta que 16,51% dos pequenos negócios desconhecem a economia circular
EFICIÊNCIA DE RECURSOS

Pesquisa aponta que 16,51% dos pequenos negócios desconhecem a economia circular

Lançamento da pesquisa ocorreu durante Congresso Internacional da Sustentabilidade em Cuiabá

Como um recurso para diminuir os impactos ambientais, minimizar os desperdícios e priorizar a reutilização e reciclagem, a economia circular surge como conceito revolucionário que visa a máxima eficiência dos recursos naturais finitos.

Nesse contexto, o empresário Gilbert Bispo, expôs o seu trabalho fruto da sustentabilidade, onde se dedica a transformar rejeitos de mineração para criar obras de artes, como vasos de plantas e quadros decorativos.

“Nós usamos a lama dos restos de mineração, que são descartados muitas vezes na natureza e transformamos em vasos, obras de arte, pinturas, tintas, casas, enfim, uma série de coisas, até troféus. Esse rejeito que era um passivo inutilizado, a gente reaproveita e gera lucro, contribuindo para a economia circular”, afirma o empresário.

O maior Congresso Internacional de Sustentabilidade para Pequenos Negócios (CICLOS) do país, impactou mais de mil pessoas durante a 5ª edição do evento que ocorreu nos dias 24 e 25 de maio, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

Os empresários, pesquisadores e estudiosos presentes tiveram acesso a discussões, expositores e muito conteúdo inovador gratuitamente, inclusive, o lançamento da ‘Pesquisa de Engajamento dos Pequenos Negócios Brasileiros às Práticas de Economia Circular’, no qual também foi disponibilizado um autodiagnóstico para as empresas pelo Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), organizador do evento e realizador da pesquisa.

De acordo com o estudo realizado nas cinco regiões do país, a temática é desconhecida por 16,51% dos pequenos empresários, o que demonstra um cenário promissor para o desenvolvimento econômico sustentável. Em contrapartida, o desafio também é demonstrado por 30,72% dos empreendedores que não veem o tema como relevantes.

Entre os setores identificados na entrevista estão: agropecuária, comércio, construção civil, indústria e serviços. Na pesquisa, o setor do agro aparece como o mais engajado na realização de campanhas de conscientização e capacitação profissional para partes interessadas sobre economia circular, com uma taxa de 34,30%. Enquanto, no setor da indústria, 29,82% das empresas contribuem para a inclusão de grupos sociais em sua cadeia de valor, como catadores, cooperativas e recicladoras.

Essa prática de prolongar o ciclo de vida de produtos e materiais, vai além da restauração da natureza, conforme indica a pesquisa, pois o sistema é benéfico tanto para as empresas quanto para a sociedade e o meio ambiente, impulsionando o desenvolvimento econômico de forma sustentável, com inclusão social e prosperidade. Os empresários que se interessem por um diagnóstico de seu negócio em relação à economia circular podem acessar este link AQUI.

No evento foi formalizada a parceria com o Instituto Ethos, para promover e ampliar a capilaridade de empresas que possam ter práticas sustentáveis. O diretor adjunto do Instituto Ethos, Felipe Sabóia, explica a importância dessa junção para eventos de proporções como o CICLOS, que busca a disseminação de conhecimento por meio do trabalho de desenvolvimento sustentável e econômico dos pequenos negócios realizado pelo Sebrae Mato Grosso.

“A colaboração entre o Instituo Ethos e o Sebrae/MT será focada no desenvolvimento e aplicação de indicadores de sustentabilidade. Além de contribuir em eventos importantes, a parceria prevê ações de capacitação, como cursos e palestras”, disse Felipe.

O CICLOS

Neste ano, CICLOS adotou como lema “Protagonistas da Nova Economia” para enfatizar a importância dos pequenos negócios nesta agenda, por meio de conhecimento e inovação. O presidente do Sebrae Nacional, Décio Lima, reforçou a importância do tema sustentabilidade impôs como uma agenda prioritária para o desenvolvimento econômico dos pequenos negócios na última década.

“Esse tema não tem mais volta no mundo, é importante e a política é clara hoje do ponto de vista do conceito respeitável da economia, o conceito da sustentabilidade, ele é parte daquilo que constrói credibilidade para o empreendedorismo e para os vários setores da economia. Portanto, também nesse momento, o Mato Grosso vive uma grande oportunidade, porque só aqui tem a presença no seu território de três biomas fundamentais que têm que ser protegidos”, disse o presidente durante o evento.

A diretora Superintendente do Sebrae/MT, Lélia Brun, ressaltou a importância de promover a reflexão acerca da implementação de práticas sustentáveis em toda a sociedade.

“É de extrema importância estarmos aqui, mostrarmos o nosso compromisso em proporcionar conhecimento, compartilhar e assim, e podermos aplicar na nossa rotina o que aprendemos nesses dois dias de evento, ressignifica nossa participação. É um congresso que pode acelerar transformações importantes para sociedade, através das nossas atitudes. O CICLOS é um chamado para influenciar, pensar e agir diferente”, disse.

O diretor Técnico do Sebrae/MT, André Schelini, reforça a importância de o empreendedor ter a percepção de ser protagonista da nova economia e do apoio do ecossistema empreendedor na adoção das boas práticas sustentáveis.

“Os pequenos negócios representam a maioria dos empreendedores brasileiros, somando mais de 22 milhões em todo o país. Não podemos pensar em desenvolvimento econômico sem considerar o desenvolvimento social e sustentável, incluindo esses atores nas grandes cadeias produtivas, que estão cada vez mais globalizadas. Os pequenos negócios desempenham um papel de protagonista nessa nova economia. Por isso é de suma importância contar com o apoio do Sebrae e do ecossistema empreendedor de Mato Grosso, juntamente com várias instituições parceiras e expositores. Eles apresentam boas práticas e promovem a adoção de práticas sustentáveis nos pequenos negócios, impulsionando um desenvolvimento mais inclusivo e responsável”, completa.

A programação foi composta por renomados especialistas, sendo no primeiro dia, o destaque é a palestra magna para o público em geral, apresentada por Denise Hills, diretora global de sustentabilidade da Natura. Já no segundo dia, os participantes poderão desfrutar de uma palestra internacional com Manuel Manga, diretor e fundador do Centro de Liderança Evolucionária (Center for Evolutionary Leadership). As palestras foram transmitidas online pelo YouTube e estão disponíveis por meio deste link AQUI.

Estiveram reunidos mais de 35 palestrantes que abordaram temas da nova economia e em eixos transversais como o engajamento das práticas de ESG (Ambiental, Social e Governança), em negócios de impacto, emergências climáticas, financiamento verde entre diversos outros temas ligados ao futuro do empreendedorismo sustentável.

Ao todo, 20 empresários de todo Brasil expuseram seus produtos e serviços durante o evento, sendo 10 do estado de Mato Grosso e outros 10 representando outras regiões do país. Entre as atividades estavam brechós, cosméticos, artesanato, têxteis, turismo, alimentício, bebidas, urbanismo, transporte, compostagem orgânica, consultorias em sustentabilidade e serviços sociais.

O CICLOS contou com o apoio do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), Governo do Estado de Mato Grosso, Sicredi, ABStartups, Aprosoja, Inova Biomas e polos de referência do Sebrae: Energias Renováveis (RN), Ecoturismo (MS), Bioeconomia (PA), Economia Criativa (SP), Agronegócios (GO) e Educação (MG).

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se