sexta-feira, 19 de agosto de 2022
InícioCBN + Projeto ComprovaPost adultera áudio e mente ao afirmar que Lula foi xingado em...
CBN + COMPROVA

Post adultera áudio e mente ao afirmar que Lula foi xingado em Caruaru

A publicação sofreu edição com a introdução de um áudio com gritos de “ladrão”

Esta checagem foi produzida por jornalistas do Projeto Comprova.

CBN Cuiabá integra a iniciativa de combate à desinformação

É falso conteúdo publicado no Facebook afirmando que Lula foi hostilizado ao participar da festa junina em Caruaru, Pernambuco. A publicação sofreu edição com a introdução de um áudio com gritos de “ladrão”. No conteúdo original, o ex-presidente é aplaudido durante um ato político de um aliado em Uberlândia, Minas Gerais. No post, é tocado um jingle de pré-campanha eleitoral.

Conteúdo investigado: Vídeo no Facebook mostra Lula caminhando em um palco ao lado do do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil. O ex-presidente segura uma bandeira do Brasil nas mãos. No conteúdo, são ouvidos gritos de: “ladrão, ladrão”. A legenda ironiza: “O líder das pesquisas foi na festa junina de Caruaru-PE e foi extremamente aclamado pelo povo”.

Onde foi publicado: Facebook.

Conclusão do Comprova: É falso um vídeo compartilhado no Facebook afirmando que o ex-presidente e pré-candidato à presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi vaiado e xingado de ladrão durante uma festa junina em Caruaru (PE). O vídeo que circula na rede social é, na verdade, uma montagem. O áudio com os xingamentos foi inserido posteriormente por meio de edição.

As imagens foram feitas no dia 15 de junho em um evento político em Uberlândia (MG), em que Lula participou ao lado do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD-MG). Não há registros de que o petista tenha participado de festa junina em Caruaru.

O post também questiona a credibilidade das pesquisas de intenção de voto ao ironizar: “O líder das pesquisas foi na festa junina de Caruaru-PE e foi extremamente aclamado pelo povo”. A alegação sugere que o ex-presidente tem baixa popularidade, o que não procede. Ele aparece em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para presidente, que utilizam métodos científicos para apurar o quadro do momento.

Falso, para o Comprova, é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Alcance da publicação: No Facebook, o post acumulava até o dia 24 de junho, mais de 1,3 mil compartilhamentos, 138 comentários e 351 curtidas. A postagem já foi sinalizada como “informação falsa” pela plataforma.

O que diz o autor da publicação: No Facebook, o post foi feito por uma usuária que costuma publicar conteúdos em apoio a Jair Bolsonaro. Na imagem do perfil, inclusive, ela divulga o número 22, em alusão ao PL, partido ao qual o presidente é filiado. O mesmo conteúdo foi compartilhado por um seguidor em um grupo denominado Dr Damares eu apoio a ministra dos Direitos Humanos. Ambos foram procurados pelo Comprova, mas não responderam.

Como verificamos: A publicação analisada pelo Comprova já foi alvo de checagens de outras agências como Aos Fatos, Boatos.org e Yahoo, que serviram como base para o início desta verificação. A partir daí, foi possível encontrar o vídeo original publicado no TikTok.

Neste conteúdo, foi possível escutar um trecho do que parece ser um jingle de campanha e que traz os seguintes dizeres: “Eu sou de Minas Gerais, coração do Brasil…”. Em busca no Google por esse trecho, encontramos um vídeo no YouTube, no canal de Lucas Rodrigues, que detalhou a informação de que este, de fato, é um jingle da pré-campanha do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) ao governo de Minas Gerais, nas eleições de 2022.

A partir daí, em uma busca no Google com as palavras “Lula”, “Minas Gerais” e “Kalil”, encontramos o registro do evento, que teve transmissão ao vivo no YouTube.

O Comprova ainda buscou matérias publicadas na imprensa a respeito do ato político, como as do Poder 360 e Estado de Minas. Também entramos em contato com dois perfis que compartilharam o conteúdo falso no Facebook.

Vídeo com Lula sendo hostilizado é montagem

O vídeo que mostra o ex-presidente Lula sendo recebido com vaias e gritos de “ladrão”, na verdade, é uma montagem, e os xingamentos foram inseridos por meio de edição.

Originalmente, a gravação foi feita em Uberlândia (MG), no dia 15 de junho, e postada no TikTok pelo sindicalista Gil Carteiro, durante um evento político.

O trecho do vídeo que viralizou, com edições, foi feito no fim do ato, quando Lula e o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil dividiram o palanque e apareceram juntos segurando a bandeira do Brasil.

No vídeo original, é possível ouvir o ex-presidente sendo recebido com palmas ao som do jingle de Alexandre Kalil, que também é pré-candidato ao governo de Minas Gerais nas eleições estaduais deste ano. A montagem ainda tenta esconder com stickers a marca d’água do verdadeiro autor da gravação das imagens, que segue parcialmente visível.

| Sticker tenta cobrir a marca d’água do verdadeiro autor da gravação das imagens. (Foto: Reprodução / Facebook)

Lula esteve em Natal (RN), Maceió (AL) e Aracaju (SE) no fim de semana dos dias 18 e 19 de junho, mas não participou das festividades de São João em Caruaru, conforme informado por sua assessoria de imprensa.

Protesto antes do evento

O evento político aqui checado marcou a primeira vez em que Lula e Kalil compartilharam palanque nesta pré-campanha de 2022. O evento foi realizado no Centro Universitário do Triângulo (Unitri). O episódio ganhou repercussão na imprensa por conta de um incidente provocado por pessoas que teriam colocado um drone para espalhar fezes e urina sobre o público. Os dejetos foram jogados antes que o evento começasse.

Embora os atingidos tenham relatado ter sofrido ataque com fezes, a Polícia Militar de Minas Gerais disse se tratar de produto biológico usado para atrair moscas em lavouras.

No dia 20 de junho, o G1 revelou que o Ministério Público Estadual de Minas Gerais (MPE-MG) vai apurar o caso. Os operadores do drone que jogaram produto químico nos apoiadores foram denunciados ao MPE pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT). O documento foi entregue ao procurador-geral Jarbas Soares Júnior. Segundo o procurador, é necessária a devida apuração dos fatos com a realização de prova pericial no drone e no produto pulverizado.

Pesquisas de intenção de voto

A legenda do post investigado também questiona a credibilidade das pesquisas de intenção de voto: “O líder das pesquisas foi na festa junina de Caruaru-PE e foi extremamente aclamado pelo povo”. Diversos seguidores endossam o questionamento com comentários que desqualificam o trabalho de institutos, como o Datafolha; entre eles: “Olha aí o data povo”. “Acho que aí ele subiu mais um pouco nas pesquisas”, digitou outro.

A mais recente pesquisa realizada pelo grupo Folha, publicada em 23 de junho, mostra Lula com 19 pontos de vantagem sobre o atual presidente, marcando 47% das intenções de voto no primeiro turno. Bolsonaro tem 28%.

Ainda que o post aqui verificado fosse verdadeiro, um eventual episódio isolado não seria suficiente para configurar uma amostra de baixa popularidade de determinado candidato. Como o Comprova mostrou recentemente, as pesquisas eleitorais utilizam métodos científicos para apurar a realidade do momento junto a segmentos que possam ser representativos do eleitorado brasileiro de uma forma geral.

As críticas aos institutos de pesquisas seguem a linha de Bolsonaro, que já chamou de “canalhice” dados do Datafolha sobre a intenção de votos dos eleitores evangélicos.

Por que investigamos: O Comprova verifica conteúdos suspeitos sobre pandemia, políticas públicas e eleições que viralizaram. O conteúdo aqui checado trata de uma suposta manifestação contra Lula, pré-candidato à Presidência da República. Conteúdos enganosos prejudicam a decisão de eleitores durante as votações, atrapalhando o processo democrático. Além disso, pesquisas eleitorais são ferramentas essenciais para a análise do contexto político do país. A tentativa de descredibilizá-las diminui a confiança das pessoas sobre os institutos de pesquisa, atrapalha a percepção da realidade e influencia o voto de forma equivocada.

Outras checagens sobre o tema: O conteúdo desta checagem foi verificado também por Boatos.org, Yahoo, Terra e Aos Fatos.

Recentemente, o Comprova mostrou que post troca local de ato contra Lula para desacreditar pesquisas, que post engana ao omitir que protesto contra Lula em Bagé (RS) é de 2018 e que vídeo antigo engana ao afirmar que Lula e Alckmin foram hostilizados em Porto Alegre

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se