terça-feira, 25 de junho de 2024
InícioCidadesSintep não descarta greve para barrar retorno das aulas presenciais em Mato...

Sintep não descarta greve para barrar retorno das aulas presenciais em Mato Grosso

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), Valdeir Pereira, não descartou a possibilidade de uma greve da categoria diante de um eventual retorno das aulas presenciais no estado.

Em entrevista ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta terça-feira (18), o presidente afirmou que um retorno das atividades educacionais de forma presencial aumentaria a exposição de professores, alunos e demais profissionais da educação, uma vez que estes grupos não foram contemplados na vacinação contra a Covid-19.

Segundo Valdeir, o sindicato irá se reunir nesta sexta-feira (21) para discutir como a categoria se posicionará em relação ao eventual retorno das aulas presenciais, não descartando inclusive a realização de uma greve da classe.

A discussão entre os sindicalizados ocorrerá após o governo do estado ter publicado portaria na qual determinava o retorno dos professores ao trabalho presencial. Conforme o Estado, contudo, a norma não orienta um retorno das aulas presenciais.

Durante a entrevista, o presidente afirmou que a continuidade do trabalho dos professores de forma não presencial seria a melhor opção neste momento. Além disso, Valdeir admitiu que a greve seria uma medida extrema, mas apontou que os educadores precisam ser respeitados.

“Como não há ainda perspectiva de vacinação dos trabalhadores da educação, a manutenção dos trabalhos remotos é para as pessoas não terem que ir para o espaço das escolas fazer aquilo que já estão fazendo”, disse o presidente.

“Estamos buscando a conversação junto ao estado de Mato Grosso desde dezembro. Tentando uma reunião com o secretário Alan Porto, mas infelizmente não tivemos êxito para essa conversa direta com a Seduc para chegar a esse meio termo. Claro que a greve é um momento de radicalismo total, mas o governo precisa respeitar os profissionais da educação”, acrescentou.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se