sábado, 13 de abril de 2024
InícioPolíticaSecretário estranha denúncia de remédios vencidos ao citar possível candidatura de Emanuel

Secretário estranha denúncia de remédios vencidos ao citar possível candidatura de Emanuel

Emanuel já afirmou em diversas situações que, neste momento, está voltado ao combate à pandemia da Covid-19, sem garantir se irá concorrer à disputa.

O secretário municipal de Turismo, Oscarlino Alves, afirmou ao Jornal da CBN Cuiabá, na segunda-feira (10), que estranha a denúncia de remédios vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos de Cuiabá (CDMIC) feita por vereadores de oposição.

O estranhamento por parte do secretário se dá por conta de a denúncia ter sido feita em um momento no qual o nome do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), é cogitado para a disputa pelo Palácio Paiaguás em 2022.

“As difamações e calúnias parece que são nesse sentido que as coisas acontecem, ao invés de serem propositivos [na política eleitoral]. É muito estranho que na época em que começa a se cogitar o nome do prefeito acontece esse tipo de conotações políticas”, disse.

O apontamento de Oscarlino é feito após sucessivas falas do prefeito de que apoia a investigação em torno da denúncia dos remédios vencidos. Além disso, Emanuel já afirmou em diversas situações que, neste momento, está voltado ao combate à pandemia da Covid-19, sem garantir se irá concorrer à disputa.

Emanuel candidato

Após ser reeleito prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro deu sinais de que poderia candidato na disputa de 2022. Sem dizer claramente se participaria da corrida eleitoral, o gestor afirmou em mais de uma situação que discordava da forma como o governador Mauro Mendes (DEM) conduz o Estado, afirmando que Mato Grosso precisa de uma política que olhe mais pela população.

Contudo, na última semana, durante a inauguração do viaduto Murilo Domingos na avenida Beira Rio, o prefeito afirmou que poderia, sim, sair ao governo caso obtivesse apoio para isso.

“O mais certo é quatro anos (de mandato), mas se vocês todos apoiarem vira um ano e meio. Se não apoiarem é quatro anos. Mas independente disso, temos muito que trabalhar pela nossa cidade, pela nosso estado”, apontou Emanuel.

Remédios vencidos

Conforme noticiado pela reportagem, os vereadores Diego Guimarães (Cidadania), Maysa Leão (Cidadania), Tenente-coronel Paccola (Cidadania) e Michelly Alencar (DEM) denunciaram há três semanas centenas de remédios vencidos no CDMIC.

O caso rapidamente ganhou visibilidade e a secretária Ozenira participou de sessão na Câmara para esclarecer a situação. À época, os vereadores aprovaram a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a denúncia, assim como outras instituições também iniciaram a apuração do caso.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se