segunda-feira, 22 de abril de 2024
InícioNotíciasJanaina critica novo decreto após decisão do TJ: “Não tem conexão com...

Janaina critica novo decreto após decisão do TJ: “Não tem conexão com a vida real”

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) criticou a decisão da Justiça que determinou quarentena coletiva obrigatória em 50 cidades do estado e disse que o decreto baixado pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), após o entendimento judicial “não tem conexão com a vida real”.

A parlamentar citou supostas incoerências no decreto, que passou a valer em Cuiabá a partir desta quarta-feira (31) e determina quarentena na cidade com funcionamento de 54 atividades tidas como essenciais até o dia 9 de abril.

Ao Jornal da CBN Cuiabá, a deputada apontou que o Poder Judiciário tem adotado práticas que geram “insegurança” no que diz respeito à adoção de uma postura que seria de competência do Executivo.

“Eu não vejo o porquê Mato Grosso hoje fazer lockdown, não acho que isso vai trazer resultados positivos. Hoje, a insegurança é muito causada por essas intervenções do Poder Judiciário, do Ministério Público, e isso está acontecendo a nível de Brasil também com o STF”, disse a parlamentar.

Janaina também criticou o decreto baixado pelo prefeito de Cuiabá. A deputada classificou parte das medidas como sendo “duras” e citou suposta desconexão das ações com a realidade.

“Tem algumas medidas que são muito duras e parece que não têm conexão com a vida real. Essa na minha opinião é um caso, em um apartamento pequeno, pai e mãe com três, quatro filhos, nos residenciais, como você não vai usar uma área comum para você levar seu filho?”, questionou.

“É justo? Considera academia essencial, salão de beleza, barbearia e a educação não? A educação deveria estar juntinha com a segurança e a saúde, porque são os pilares de toda sociedade civil organizada”, apontou a deputada.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se