terça-feira, 23 de abril de 2024
InícioCidadesPrincipal alvo de operação reage à prisão e morre em confronto com...
ASSASSINATO DE SARGENTO

Principal alvo de operação reage à prisão e morre em confronto com o GOE em Cuiabá

O confronto aconteceu na casa do acusado, em um prédio de quitinetes no bairro Boa Esperança

THAIZA ASSUNÇÃO – DA REDAÇÃO 

O principal alvo da Operação Black Stone, deflagrada na manhã desta segunda-feira (25) pela Polícia Civil de Mato Grosso, morreu após entrar em confronto com policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE), em Cuiabá. Ele foi identificado como Graciel da Silva Muniz, de 29 anos.

A operação cumpre mandados contra envolvidos no assassinato do sargento da Polícia Militar, Djalma Aparecido da Silva, de 47 anos. O crime ocorreu no dia 22 de janeiro deste ano, na cidade de Pedra Preta.

De acordo com a Polícia Civil, Graciel é apontado como um dos executores do homicídio do sargento.

O confronto aconteceu na casa do acusado, em um prédio de quitinetes no bairro Boa Esperança, onde os agentes dos GOE cumpririam mandados de buscas e prisão contra ele. Graciel reagiu à abordagem, foi baleado e morreu.

No total, a operação cumpre 13 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão preventiva nas cidades de Pedra Preta, Rondonópolis e Cuiabá.

Primeira prisão

Na primeira fase investigativa, deflagrada no dia 28 de janeiro, foi preso Paulo Ricardo da Silva Ferreira.

Ele teve a prisão temporária decretada pela Vara Única de Pedra Preta após ser identificado nas investigações como a pessoa responsável pelo veículo usado no crime.  Ao ser preso, o investigado quebrou seu celular jogando o aparelho contra o chão.

O crime

O policial foi atingido por disparos no rosto enquanto caminhava na calçada do centro de eventos da cidade.

O militar prestava serviço nas cidades de Alto Garças e Alto Taquari, mas residia com a família em Pedra Preta.

O veículo usado pelos autores do crime, um modelo Renault Sandero, foi encontrado, incendiado, horas depois no bairro Morumbi.

Uma das hipóteses é que o crime tenha sido a mando de uma facção, pois Djalma participou de um confronto em Alto Garças que resultou na morte de um membro da organização criminosa.

 

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se