domingo, 3 de março de 2024
InícioCidadesMinistra do STJ cita “risco de reiteração delitiva” e nega conceder prisão...
ALVO DE OPERAÇÃO

Ministra do STJ cita “risco de reiteração delitiva” e nega conceder prisão domiciliar para “Musa do crime”

Ingridy Pollianna Santos Pereira, de 24 anos, foi presa no último dia 1º de janeiro

THAIZA ASSUNÇÃO – DA REDAÇÃO 

A ministra Maria Thereza de Assis Moura,  presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou habeas corpus que pedia  prisão domiciliar  para a jovem Ingridy Pollianna Santos Pereira, de 24 anos, conhecida como “Musa do crime”. A decisão é desta terça-feira (16).

Ingridy foi presa no último dia 1º de janeiro tentando furtar um carro no Parque das Águas, em Cuiabá. Ela estava foragida desde novembro do ano passado quando foi alvo da Operação Turismo Seguro, que investiga uma associação criminosa envolvida em furtos em pontos turísticos de Mato Grosso.

No HC a defesa dela alegou que Ingridy é mãe de filhos menores de 12 anos de idade. Também sustentou que ela teria direito à extensão dos habeas corpus que concedeu prisão domiciliar a sua irmã, Islaynne Raysa Santos Pereira, que também foi alvo da Operação Turismo Seguro.

Na decisão, a ministra afirmou, no entanto, que a pretensão não poderia ser acolhida pelo STJ, pois o mérito do HC ainda não foi julgado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Liminarmente, o habeas corpus foi negado pelo desembargador Paulo da Cunha.

Conforme a ministra, a decisão do TJMT levou em conta o “risco de reiteração na prática delitiva em razão de seus antecedentes criminais, situação excepcional passível de afastar a concessão desse benefício, segundo alguns precedentes do STJ”.

“Ante o exposto, com fundamento no art. 21-E, IV, c/c o art. 210, ambos do RISTJ, indefiro liminarmente o presente habeas corpus”, decidiu.

Turismo Seguro

De acordo com a Polícia Civil, os acusados se passavam por turistas para furtar pertences dos veículos das vítimas.

Um dos crimes ocorreu no dia 3 de setembro, no distrito de Bom Jardim, em Nobres.

Os acusados aproveitaram que as vítimas realizavam o passeio turístico para arrombar os veículos que estavam no estacionamento.

Conforme a Polícia Civil, eles furtaram diversos pertences como joias, aparelhos celulares, documentos, equipamentos eletrônicos, dentre outros objetos pessoais de valor.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se