sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024
InícioCidadesSecretário cita curva descendente de casos, mas diz que “não dá para...
PANDEMIA EM MT

Secretário cita curva descendente de casos, mas diz que “não dá para comemorar”

O secretário afirmou que os dados têm sido positivos, mas que o alerta vermelho da pandemia ainda deve continuar aceso

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, citou que Mato Grosso tem registrado uma curva descendente de novos casos da Covid-19. Contudo, para o gestor, isto não significa dizer que já é possível “comemorar” uma vitória sobre a pandemia.

Em entrevista ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta quarta-feira (25), o secretário afirmou que os dados têm sido positivos, mas que o alerta vermelho da pandemia ainda deve continuar aceso.

Conforme noticiado pela reportagem, Mato Grosso tem registrado ao longo das últimas semanas uma queda no número de novos casos diários assim como uma diminuição na ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Neste cenário, Figueiredo afirmou que os números atuais da pandemia são produto direto do avanço da cobertura vacinal no estado. Hoje, conforme dados apresentados pelo secretário, Mato Grosso tem capacidade de imunizar 84% da população vacinável.

“Não dá para comemorar nada em uma pandemia. O que acontece é que a gente sofre menos. É menos desconfortável esse momento, que é um momento que ainda apresenta uma média desconfortável de óbitos por vários fatores”, ponderou o gestor.

“Podemos comemorar hoje que cerca de 84% da população mato-grossense já tem vacina disponível. Os lotes de vacinas que foram encaminhados aos municípios permitem que as cidades vacinem 84%”, acrescentou.

Ao Jornal, o gestor citou ainda o exemplo das prefeituras de São José do Povo e General Carneiro, que comunicaram oficialmente à Secretaria de Estado de Saúde que já completaram a imunização total com a primeira dose da vacina.

Questionado sobre os casos da variante Delta divulgados em boletim recente, o secretário negou que haja dados oficiais que comprovem a circulação da mutação. Contudo, Figueiredo afirmou que é muito provável que a nova cepa já esteja em Mato Grosso.

“Então, eu não tenho a informação oficial. Em que pese é muito provável que nós temos a variante, sim, circulando no estado. As análises primárias apontam para uma característica de uma cepa muito consistente para ser a variante Delta”, disparou.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -spot_img

Siga-nos nas redes sociais

31FãsCurtida
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se