sexta-feira, 21 de janeiro de 2022
Início CBN Saúde Novembro Azul: a importância do diagnóstico do câncer de próstata - e...
NOVEMBRO AZUL

Novembro Azul: a importância do diagnóstico do câncer de próstata – e do fim do preconceito

Campanha visa conscientizar e alertar os homens sobre os riscos do câncer de próstata.

O câncer de próstata é o segundo tipo de tumor mais frequente entre os brasileiros e deve ultrapassar o número de 65 mil casos em 2021, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Pensando nisso, em 2011 foi criada a campanha do Novembro Azul, para conscientização da importância do diagnóstico precoce – e também pelo fim do preconceito contra o tratamento da doença.

O tabu acompanha de perto o tratamento de uma doença tão séria, que segundo o Inca, mata 42 homens por dia no Brasil. Todo esse tabu e preconceito está ligado ao exame de toque retal, que deve ser feito uma vez por ano após os 50. O procedimento é indolor, dura menos de 10 segundos e é realizado por médico especializado (oncologistas ou urologistas).

Mas por que fazer o toque retal? “Como a próstata fica localizada muito próxima ao reto, o seu crescimento causa um abalo nessa região, que é próximo ao anus. Quando é feito o exame de toque retal você consegue saber se há o crescimento da próstata, se existe rigidez ou a presença de algum nódulo”, explica Marcelo Bumlai, oncologista clínico e diretor técnico da Oncomed.

SOBRE O CÂNCER DE PRÓSTATA

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino e está localizada entre a bexiga e o pênis. Ela produz um líquido que faz parte do sêmen e que nutri e protege os espermatozóides. Esse órgão sofre alterações com o avanço da idade, mas a prevenção deve iniciar antes. “Em todos os homens a próstata cresce com a idade, principalmente a partir dos 50, mas as doenças da próstata podem aparecer antes. A incidência do câncer é maior a partir dos 60, mas a prevenção deve começar precocemente”, afirma Bumlai.

DIAGNÓSTICO E SINTOMAS

O diagnóstico é feito a partir de uma amostra da próstata que vai para biópsia. “Pode ser feito um exame de sangue, de toque ou ultrassom como exame de base, mas só se dá o diagnóstico final após biópsia”, comenta Bumlai. Ele ainda reforça que apenas o exame de sangue não é o suficiente.

“A fase inicial do câncer de próstata não tem sintomas. Em boa parte dos casos o diagnóstico é feito a partir de exames de rotina. Os sintomas que podem chamar atenção é quando a próstata já cresceu muito e envolve o canal da uretra, fazendo com que a pessoa tenha dificuldades para urinar, com um jato curto. Outro sinal é não esvaziar completamente a bexiga quando vai ao banheiro, tendo que ir muitas vezes ao dia”, explica Gilmar Ferreira, cirurgião oncológico da Oncomed.

A prevenção se faz ainda mais importante justamente pelos sintomas surgirem apenas quando a doença já está em um nível mais avançado. “Aqui na clínica fazemos o tratamento completo em relação ao câncer: desde a oncologia clínica, da análise dos sintomas, ao tratamento cirúrgico, hormonal e quimioterápico”, afirma o oncologista. “E em relação ao trabalho de conscientização, a Oncomed está fazendo a sua parte e lançou uma campanha que tem como slogan a frase ‘A vida vale mais do que qualquer tabu’”, conclui.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -

Siga-nos nas redes sociais

31Mil FãsCurtir
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se