segunda-feira, 29 de novembro de 2021
Início Política Remédios vencidos: investigação aponta prejuízo de R$ 30 milhões, diz vereador
ESCÂNDALO NA SAÚDE

Remédios vencidos: investigação aponta prejuízo de R$ 30 milhões, diz vereador

Ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta sexta-feira (22), o parlamentar afirmou que, somente com medicamentos, o prejuízo foi de R$ 12 milhões

Na reta final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o caso dos remédios vencidos no Centro de Distribuição de Medicamentos da Capital (CDMIC), relatórios levantados durante a investigação apontam para um prejuízo de R$ 30 milhões ao erário.

A informação foi apontada pelo vereador Tenente Paccola (Cidadania), que é membro da Comissão. Ao Jornal da CBN Cuiabá, na manhã desta sexta-feira (22), o parlamentar afirmou que, somente com medicamentos, o prejuízo foi de R$ 12 milhões.

Contudo, o valor final do rombo nas contas públicas por conta dos remédios vencidos alcança a casa dos R$ 30 milhões quando considerados os gastos com empresas terceirizadas que atuavam na gestão do Centro.

“Fui atrás da contratação de auditor independente para trazer informações, que fiquei muito feliz de consolidar por meio de relatórios do Tribunal de Contas que comprovam que o prejuízo dos medicamentos chega na casa dos R$ 12 milhões. Somadas as empresas terceirizadas e os descartes vai chegar na casa dos R$ 30 milhões”, disse Paccola.

O vereador comentou ainda sobre a possibilidade de apresentação de um relatório paralelo da CPI caso o documento final da Comissão – que é composta majoritariamente com vereadores da base do prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB) – não omita informações que possam prejudicar a gestão do emedebista.

Segundo Paccola, caso haja omissão, ele denunciará o presidente e o relator da Comissão aos órgãos de controle por crime de prevaricação.

“A responsabilidade deles como presidente e relator é apontar os fatos. Se prevaricarem de maneira dolosa, farei a apresentação não só de um relatório paralelo como para o Ministério Público e os órgãos de controle também”, acrescentou.

Veja a entrevista completa AQUI.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -

Siga-nos nas redes sociais

31Mil FãsCurtir
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se