terça-feira, 18 de maio de 2021
Início Política Joaquim descarta presidência do TCE, mas admite disputa eleitoral

Joaquim descarta presidência do TCE, mas admite disputa eleitoral

Segundo ele, assunto será tratado mais a frente, sob pena de “contaminar” atuação na instituição

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Antonio Joaquim admitiu a possibilidade de concorrer a um cargo eletivo na eleição do próximo ano.

De todo modo, afirmou que esse assunto deve ser tratado mais a frente, sob pena de “contaminar” sua atuação na Corte de Contas.

“Nesse momento é zero do ponto de vista de política. E falo isso por dois motivos claros. Primeiro, porque não admito contaminar minhas atividades de conselheiro, julgador de contas com a política eleitoral partidária. Seria desonesto. Seria uma atitude muito frágil de caráter eu querer usar isso”, disse.

“Segundo, até pela ilegalidade. Como conselheiro tem as mesmas prerrogativas de desembargador do TJ, sou impedido pela Lei Orgânica da Magistratura de exercer atividades políticas partidárias. Agora, o futuro eu não me dou o direito de afirmar que não tenho nenhum interesse porque seria hipocrisia”, emendou.

As declarações do conselheiro foram dadas em entrevista à Rádio CBN Cuiabá, nesta semana.

Na ocasião ele lembrou que anunciou – em 2018 – sua pré-candidatura ao Governo Estado e chegou a entrar com pedido de aposentadoria do TCE.

Naquela ocasião, o então governador Pedro Taques se recusou a assinar a homologação do seu pedido de aposentadoria e fez uma consulta ao Supremo Tribunal Federal (STF), que mais tarde, se posicionou contra o pedido.

“Não sei o que vai acontecer no futuro. Seria hipocrisia eu não admitir que fui pré-candidato ao Governo em 2018. Tenho claramente vocação, tenho desejo, mas nesse momento não. La na frente, lá por novembro, vamos parar avaliar. Talvez, quem sabe”, disse.

O conselheiro admitiu, inclusive, que existe um assédio de alguns partidos em relação a seu nome.

“Não vou dizer que não seja assediado, mas não permito que avance aquela linha de limite que me permita trabalhar como conselheiro sem contaminação política eleitoral partidária”.

Presidência do TCE

Quanto a presidência do TCE, Antonio Joaquim disse não ter qualquer pretensão de voltar a concorrer ao cargo.

Atualmente a instituição é comandada pelo conselheiro Guilherme Maluf. A eleição para o biênio 2022-2023 ocorre ainda neste ano.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -

Siga-nos nas redes sociais

31Mil FãsCurtir
250SeguidoresSeguir