quarta-feira, 22 de setembro de 2021
Início Política Barbudo defende ensino militar: “Sem espaço para espalhar plano esquerdista de poder”

Barbudo defende ensino militar: “Sem espaço para espalhar plano esquerdista de poder”

Deputado diz que posicionamento contrário guarda relação com posicionamentos ideológicos

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) saiu em defesa da ampliação do ensino militar nas escolas de Mato Grosso como forma, inclusive, de garantir a segurança de alunos e profissionais da Educação.

“A polícia nada mais é do que aqueles que nos garantem segurança na sociedade. E, portanto, garantem segurança na sala de aula. Estamos cansados de ver alunos agredindo professores, fumando maconha na escola e os diretores não conseguirem nem reagir”, argumentou.

“Sou adepto do ensino militar, porque acompanho o que acontece na realidade, no dia-a-dia. Enxergo sim que escola militar vem trazendo à sociedade pessoas com grande gabarito cultural”, emendou.

As declarações foram dadas em entrevista ao Jornal da CBN Cuiabá, nesta semana.

Na ocasião, o parlamentar disse se opor a críticas feitas por sua colega, deputada Rosa Neide, que tem uma visão contrário a chamada militarização nas escolas.

Segundo a deputada, “a partir do momento em que a polícia entra na escola, o professor perde a autoridade”.

Barbudo, por sua vez, afirmou que tal posicionamento é “sem nexo” e “nefasto”. Conforme ele, o posicionamento contrário ao ensino militar guarda relação com posicionamentos ideológicos.

“No caso da minha companheira de Câmara, que é do Partido dos Trabalhadores, está muito claro que eles não querem uma escola organizada. Não tenho medo de falar, eles apoiam escolas como as de Cuba, com um ensino ideologicamente marcado. E, com a PM, não conseguirão terreno fértil pra espalhar plano ideológico esquerdista de poder”, disse.

“A declaração da deputada é uma aberração, porque a PM não dita as regras do ensino. Na verdade, no momento em que a polícia entra na escola, os esquerdistas comunistas tremem de medo e não conseguem raciocinar. Porque eles são contra a ordem pública”, concluiu o deputado.

Mais lidas nesta categoria
- Publicidade -

Siga-nos nas redes sociais

31Mil FãsCurtir
18,052SeguidoresSeguir
3,191SeguidoresSeguir
597InscritosInscreva-se